Número total de visualizações de página

quinta-feira, 7 de julho de 2016

Lugares Escuros


Sendo assim, começo a crer que nos conhecemos de outro tempo, outro lugar. As Teorias da Reencarnação nunca me convenceram, mas acho-lhes graça. Imagine-se a possibilidade de viajar por aí, através do tempo, noutros corpos, outras massas sensitivas. Tanta vida, quando o que nos espera é a morte.
Sendo assim, consigo encontrar por instantes uma explicação para esta sensação que me provocas, quando te olho nos olhos. O frente e verso de uma história sem nomes nem rostos, sem princípio nem fim. E, no entanto, há uma pergunta que se escreve letra a letra, quando te vejo:
"- Que faço ali tão longe?"
Não sei como me vês. Ando tão desarrumada, como uma casa em mudanças. Sempre que faz falta algo, desculpo-me com tanta coisa que há para desempacotar.
Porque o que me faz falta é falar das coisas sem importância. Deixei isso noutro lugar, onde já não posso voltar.
É tudo uma coincidência. Um estremecimento azul, como a cor com que pinto os olhos ou a tinta que se espalha eufórica, quando escrevo.
Reencarnação, casualidade, atracção, chama-lhe o que quiseres. O corpo é carne, sangue e nervos. Os ossos?
Não me esqueci. Esses são os alicerces da obra.
Fazem parte do mistério que vejo em ti.

N.B.



* imagem pinterest

Sem comentários:

Enviar um comentário

Mania de escrever

Mania de escrever
Aqui pratica-se a mania de escrever